Matizes Escondidos

14/09/2007

Análise de Concorrência UFMG - Engenharia de Minas, Geologia e Engenharia Metalúrgica

Atenção: análise mais atualizada aqui.

Hoje eu vi a tabela com as relações candidato/vaga do vestibular da Universidade Federal de Minas Gerais (na qual eu não estudo). Me chamou a atenção o fato de Engenharia de Minas, que durante muito tempo foi o patinho feio das engenharias, ter tido uma procura muito elevada em relação ao meu ano de vestibular (2003).

Bom, achei que tal crescimento tinha tudo a ver com o boom na produção minerária de Minas Gerais. De fato, a indústria extrativa mineira cresceu 12,7% entre 2004 e 2005 e 8,8% entre 2005 e 2006 (dados da Fundação João Pinheiro).

Numa tentativa de quantificar essas impressões, fiz algumas pesquisas e alguns gráficos. Vou marcar em algumas das ilustrações abaixo o ano de 2004, que identifico como o ano do boom do minério de ferro, que é o principal produto mineral exportado por Minas. Os dados do preço do minério vinham do site Econstats (infelizmente não mais disponível online) e os dados de concorrência do vestibular eu consegui no site da Universidade e nos manuais de vestibular que eu tenho em casa.

Me desculpem a má formatação dos gráficos, mas até o meu professor superrigoroso de estatística, Ronaldo Oleto, abria exceções para gráficos no Excel. Vamos lá:

Concorrência Geologia e Engenharia de Minas

Temos que, a partir de 2004, a relação candidato vaga dos cursos de Geologia e Engenharia de Minas na UFMG se tornam sempre crescente, em vez de variar em torno de um valor médio, como ocorria antes.

 


 Aqui, a fim de comparação, eu fiz o seguinte. Peguei as relações candidato vaga para o vestibular da UFMG para nove cursos. Agreguei-os e tirei a média da concorrência de cada ano, de 1999 até 2007. O G1 é formado pelos cursos de Geologia, Engenharia Metalúrgica e Engenharia de Minas.

No grupo G2, tentei colocar cursos de perfil semelhante aos do grupo G1, mas que não acho que tenham sido muito afetados pela variação no preço do minério de ferro. Integram o G2 os cursos de Engenharia Química, Engenharia de Controle e Automação e Geografia (bacharelado e diurno).

No G3, coloquei cursos que considero tradicionais, como definidos pelo diálogo do inconsciente coletivo:

- O que você quer ser quando crescer?

- Ou médico ou advogado ou engenheiro!

Agrupei e tirei a média da concorrência para os cursos de medicina, direito (diurno, para os anos de 2004 a 2007 e sem informação de turno para os demais anos) e engenharia civil.

O resultado:

Concorrência UFMG


O grupo G2 flutua em torno de uma média e é ultrapassado pelo grupo G1 no final do período. O grupo G1 apresenta crescimento em todos os anos a partir de 2004 (esse, inclusive). O grupo G3 apresenta tendência de queda durante a maior parte do período, mas essa é revertida no final.

 


 

Concorrência - cursos selecionados - e minério de ferro

No gráfico acima, plotei os valores das concorrências do grupo G1, de 1999 a 2007, contra os valores da tonelada do minério de ferro. Há uma associação positiva entre o preço em dólares do minério e a concorrência no agregrado de cursos G1.


 

Concorrência vestibular

O gráfico acima mostra a evolução da concorrência total na UFMG e nos cursos do agregado G1, de 1999 a 2007. Vemos como a concorrência total apresenta uma tendência de queda, enquanto o agregado G1 apresenta uma tendência de alta, ultrapassando a concorrência total da UFMG no final do período. Eu até poderia até expurgar o agregado G1 para conseguir a concorrência total - líquida de G1, mas como não tenho acesso aos dados desagregados com muita facilidades, daria um trabalho imeeenso.


Em resumo: os cursos da UFMG, em geral, estão se tornando menos concorridos. Cursos ligados à mineração são exceção, o que talvez possa ser explicado pelo boom das commodities, como exemplificado e aproximado pelo caso do minério de ferro.


Escrito por Philipe às 13h17
[] [envie esta mensagem] []


11/09/2007

Não vendo chup-chup

Há algum tempo , eu fiz uma adaptação para a língua portuguesa de um texto do site Cracked, que você pode conferir aqui.

Eu sabia que a idéia era meio polêmica, então deixei a seguinte nota: Atenção! O site somente traduziu a página! O artigo não expressa necessariamente a opinião do site.

Desnecessário dizer que os ogros, trolls e bárbaros da Internet nos brindaram com toda a sua delicadeza e gentileza. O fato é que muitos deles falaram que achavam ridículo o site ter tal opinião e etc. Opa! Eu fiz o disclaimer de que a adaptação não demonstrava necessariamente a opinião do site (o que nos traz a questão de se sites têm opinião, mas fica para depois).

Eu comentei isso com meu colega de sala e de site, sobe as pessoas acharem que a opinião do artigo era a opinião do site. Ele me disse o seguinte:

"Cara, se você colocar uma placa na frente da sua casa escrito 'Não vendo churros', daí a cinco minutos vai aparecer alguém pedindo para comprar".

Eu me lembrei disso hoje. Eu fiz uma piadinha no meu perfil do orkut, escrevendo "Eu não estudo na UFMG". Apesar de ter um perfil que é parecido com o de muitos alunos de lá, eu nunca fiz UFMG.

Foi só eu colocar isso lá que me perguntaram se eu tinha passado para a UFMG.

Não quis espetar o autor do comentário, só achei engraçado porque eu lembrei da história dos churros ali em cima e resolvi postar aqui. =)

Eu realmente nunca estudei na UFMG


Escrito por Philipe às 18h57
[] [envie esta mensagem] []



Sounds like www.halfsigma.com

Mais uma do xkcd:


Escrito por Philipe às 18h41
[] [envie esta mensagem] []



Redes neuróticas

Todo mundo já deve conhecer, mas caso não... http://www.20q.net é um site que, baseado em redes neurais, tenta ler a sua mente. O programa pede para você pensar em alguma coisa, como 'cogumelo' ou 'alicate' e, com vinte perguntas, tenta descobrir o que é, baseado em suas respostas 

Geralmente ele acerta, ou chega bem perto, confiram lá.

Homem do Rá? Isso aqui é assombroso.


Escrito por Philipe às 18h39
[] [envie esta mensagem] []



'Não revisei, deve estar com erros de português' ou 'Ah, que saudade de ler o Valor Econômico'

De www.trash80s.com.br - Fofão fazia propaganda do Mirabel

Um outro dia eu estava dando uma olhada no primeiro blog de economia que eu li, Economia Everywhere. Depois o Economia Everywhere "virou" o De Gustibus.

Pois é. Lá nos inícios do Economia Everywhere encontramos uma discussão sobre o fim do biscoito Mirabel:

O que leva produtos a desaparecerem do mercado? (...) Para dar o pontapé inicial, alguns palpites (...):

1) Houve uma mudança tecnológica (estou chutando feio, talvez tenha a ver com a tecnologia alimentar que nossos cientistas têm desenvolvido nos últimos anos). Assim, a demanda por biscoitos mirabel caiu em prol de substitutos.

2) A tendência "light" de hoje em dia pode ter diminuido a demanda por um biscoito de chocolate para crianças. Mães morrem de medo de terem filhos obesos (já avós e tias adoram, respectivamente, netos e sobrinhos gordinhos...). Teria isto algo a ver com..

2.1) uma escassez de recursos: lucros reinvestidos são, claro, escassos. Se a onda é tomar Gatorade, a fábrica do Mirabel pode ter percebido que um mercado mais lucrativo se encontrava longe dos corações dos velhos fãs do produto.

Eu me lembrei disso outro dia, num evento em que estava devidamente fornido de gordo coffee-break. Antigamente (há uns sete, oito anos), as pessoas se esbaldavam com refrigerante, se esse fosse de marca boa. Em qualquer evento, se tivesse Coca-Cola, Fanta ou Guaraná, esses rapidamente acabariam. Os únicos refrigerantes que não acabavam eram as tubaínas, como São Marcos ou Picolino.

Pelo que me lembre, mesmo que tivesse suco, as pessoas preferiam refrigerante. Me lembro de ser sido alvo de piadinha uma vez por não beber refrigerante, optando por sucos. Me chamaram de natureba ou algo que o valha.

Já nesse evento em que estive recentemente, havia duas opções de bebidas: suco e refrigerante. O suco acabou rapidinho (não sei se isso aconteceria há alguns anos). Mas o fato é que os refrigerante, e eram de primeira linha, simplesmente sobraram. Pela minha percepção, as pessoas preferiram não tomar alguma coisa a beber refrigerante. Resultado? Muitas garrafas de Coca-Cola, Fanta ou Guaraná ficaram fechadas, à espera de algum bebedor. E a quantidade de refrigerante disponível era até pequena, comparada com o número de pessoas. As garrafas ficaram fechadas por falta de demanda, e não por excesso de oferta.

Repito, tudo isso foi baseado em minhas observações, não tendo um valor científico maior.

Essas coisas me puseram a pensar. Hoje em dia, até o meu cachorro sabe que não é bom tomar e comer coisas com muito açúcar refinado. Isso explica uma parte da ascensão de produtos alternativos como a H2OH! e a água flavorizada Aquarius. Será que o que eu vi, as pessoas preferindo tomar nada a tomar refrigerante, seja uma amostra dessa tendência?

A continuar desse jeito, daqui a alguns anos o bilhetinho da Tia para a casa das crianças vai ser algo do gênero: “Vamos ter uma festinha. Menina traz salgadinho, menino traz suco”.

Na verdade, todo o post foi apenas uma desculpa para escrever o último parágrafo.


Escrito por Philipe às 17h26
[] [envie esta mensagem] []


09/09/2007

Usando a ciência para quebrar momentos solenes

- Oh, traidor de pior espécie. Nossos caminhos a partir daqui se separam definitivamente. Somos como água e óleo...

- ...que nunca se misturam.

-  Isso mesmo, nunca se misturam. Bom, a não ser que a água seja desgaseificada.

- Desgaseificada?

- Pois é! É antigo, mas vale a pena ler aqui.


Escrito por Philipe às 14h47
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   
Histórico

OUTROS SITES
    A garota 100% perfeita
  Tudo o que você sempre quis saber sobre a multa nos sushis que sobraram no rodízio... mas não tinha coragem de perguntar ao amigo economista
  E-book dos ditados populares
  Dilbert Blog (Scott Adams)
  Geek Press
  A Softer World
  Blog do Mankiw
  Publicidade Positiva
  De Gustibus Non Est Disputandum
  Temas em Economia
  xkcd
  Cracked
  Demography Matters
  Homo Econometricum
  Suspensão de Juízo
  Quatroventos
  phCastro
  Muçarela
  Todos os Links - Matizes Escondidos


VOTAÇÃO
    Dê uma nota para meu blog